domingo, 15 de maio de 2016

Habitos das cariocas reveladas em Check List Hidráulico

Na hora de procurar os causadores da conta elevada de água, as equipes da RCA Hydrotech toda semana visitam muitos banheiros na cidade maravilhosa, e portanto, chegam a conhecer alguns hábitos intimos da população carioca. Uma coisa que sempre chama a nossa atenção, é a grande quantidade de calcinhas que observamos pinduradas para secar na torneira do chuveiro.
Às vezes soa como praticidade: você está no banho e aproveita o tempo para lavar a calcinha, adiantando o trabalho de lavanderia. Um sabonete na roupa íntima, entre o xampu e o condicionador nos cabelos, e pendurar na torneira do box para secar. Mas será que essa rotina é saudável? Lavar a calcinha no banho pode parecer uma economia de tempo e sabão em pó, mas para limpar adequadamente as roupas que terão contato com as partes íntimas é preciso tomar certos cuidados para que o hábito não leva a irritações, corrimentos, coceiras e alergias na vagina. Uma ginekologista do Hospital 9 de Julho, em São Paulo diz o seguinte; "Até podemos lavar a calcinha no box, não é proibido, mas não com qualquer produto, não de qualquer jeito. Até porque o maior vilão desse hábito não é lavar no chuveiro, e sim, deixar a calcinha secando no box." Leia mais dicas na matéria aqui

sábado, 11 de abril de 2015

Liderança de tecnologia na RCA Hydrotech. Agora com utilização de drone.

A equipe da RCA Hydrotech realizou mais uma busca de vazamentos bem sucedida na rede subterrânea de hidrantes de uma indústria química em Belford Roxo. A bomba que mantém a pressão operacional da rede de incêndio em 7 kilos por cm2 chegou a entrar em ação a cada 2 minutos em função  de escapamentos de água na parte subterrânea da rede. A técnica utilizada para localizar estes vazamentos foi um método eletro-acústico que escuta os vazamentos na rede com sensores altamente sensíveis. O principal inimigo deste tipo de busca é a presença de ruídos ambientais, que podem prejudicar este trabalho., e portanto, as vezes tem que fazer este tipo de trabalho em horários com menor movimento na fábrica. Desta vez, foi possível a localização de três fontes de ruídos consistentes nesta rede apesar de alguns ruídos ambientais. Para melhor ilustrar os relatórios técnicos a RCA Hydrotech agora - sempre quando as condições de voo permitem - está utilizando um drone para tirar fotos aéreas dos locais de busca.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

RCA Hydrotech resolve caso de Polícia: Flagrado morador que desperdiciava água de sacanagam em condomínio em Niterói. 

Novos métodos com alta tecnologia da RCA Hydrotech identificam o causador do desperdício de água que chegou a dar um prejuizo de R$ 8 mil por mês ao condomínio.


O edifício do condomínio Rui Barbosa, na Rua Presidente Backer no bairro de Icaraí, Niteroí tem aproximadamente 35 anos de idade e possui dois blocos com sete andares, cada um com vinte e nove unidades residenciais. Cada bloco possui uma cisterna própria com hidrômetro próprio. Embora cada bloco seja habitado por aproximadamente 90 pessoas, no passado recente, o valor da fatura de água do Bloco 2 passou a ser o triplo do Bloco 1. No mês de outubro o bloco 1 apresentou um consumo diário de 15 m3, e o bloco 2 de 42 m3, com praticamente a mesma quantidade de moradores. Como este prédio ainda não possui hidrômetros individuais, o valor da fatura da água está sendo dividido em partes iguais entre os 29 apartamentos. Enquanto o valor da água cobrada dentro da taxa condominial no bloco 1 girava em torno de R$ 81,00 por apartamento, este valor no Bloco 2 disparou para R$ 340,00. Além do consumo triplo, a tarifa progressiva aplicada pela Águas de Niterói penalizou os apartamentos do bloco 2 mais ainda.

Esta situação causou muita polêmica entre os moradores e o síndico chamou várias empresas de caça vazamento para identificar a causa do consumo elevado. Nenhuma delas conseguiu detectar o problema. Em Outubro de 2014 foi a vez da RCA Hydrotech tentar identificar o problema. Foi contratado um check-list hidráulico que inclui uma inspeção total da rede hidráulica do condomínio dês da entrada pelo hidrômetro, bóias, cisternas, caixas d’água até os pontos de consumo nos apartamentos, com utilização de equipamentos eletrônicos (chamados de geofone) que, semelhante a um equipamento de ultrassom na medicina, conseguem identificar vazamentos escondidos.

Na ocasião da nossa inspeção, em entrevistas com o pessoal de manutenção do prédio ficamos sabendo, que uma das caixas de saída de esgoto na garagem do prédio, que recebe o esgoto sanitário da coluna 3 do Bloco 2, freqüentemente apresentava um grande fluxo constante de água límpida, e que este fluxo sempre deixou de existir nos dias das diversas inspeções hidráulicas (são divulgados com antecedência nos elevadores).

Nos 56 apartamentos vistoriados durante esta inspeção (dois estavam fechados, sem habitantes) encontramos apenas 7 pequenos defeitos com desperdício de água. Estimamos que o total destes defeitos pode justificar uma perda de no máximo 1,5 m3 por dia, ou seja, muito menos que os 25 m3 que o consumo do bloco 2 está acima do normal.

Isto nos levou a concluir que o principal motivo deste consumo elevado deve ser um problema comportamental de um ou vários habitantes do bloco 2. E como o grande fluxo de água limpa na saída de esgoto parou pela mera presença da nossa equipe no condomínio, ficou mais evidente ainda que o motivo deste vazamento só pode ser sacanagem: Ficou claro que alguém está jogando água fora de propósito.

Diante desta situação, montamos junto com a administração do prédio um plano para pegar o responsável deste desperdício em flagrante. Ficou combinado que o sub-sindico continuasse monitorando aquela caixa de esgoto e nos chamasse com máximo sigilo para realizar uma filmagem de endoscopia no tubo de queda de esgoto, para identificar o andar onde este fluxo de água limpa estava originando. No dia 20 de Outubro o fluxo de água limpa naquela saída voltou e o sindico nos chamou para executar o nosso plano. Para não chamar nenhuma atenção, deixamos o carro com logomarca da nossa empresa em um estacionamento rotativo bem longe do condomínio e entramos pela porta dos fundos sem ser vistos por nenhum morador. Seguimos diretamente para o apartamento 403 do Bloco 2, que é de uma moradora da confiança do síndico que cooperou com o nosso plano em todo sigilo. Para inserir a sonda de filmagem no tubo de queda de esgoto do prédio foi necessário soltar o vaso sanitário no banheiro dela. Ao contrário do palpite de uma multidão de moradores que imaginavam que o problema era causado por uma moradora extremamente chata no apartamento 303, esta filmagem flagrou que na realidade o fluxo de água estava advindo do apartamento 103 onde mora um engenheiro idoso muito discreto de quem ninguém desconfiava.

Após a entrega do nosso relatório, a administração conversou delicadamente com o responsável deste consumo elevado, que aparentemente estava com a saúde mental comprometida (demência) e o problema foi solucionado amigavelmente. Além disto, de acordo com a nossa recomendação, o condomínio aprovou a instalação de hidrômetros individiuais, que impedem que todos pagam pelo desperdício de poucos.


O nome e endereço deste condomínio foi alterado pela redação para evitar possíveis constrangimentos para os envolvidos.